Mais sobre a profissão

O estatístico

Ao longo desses anos a classe vem se fazendo respeitada no cenário nacional e internacional. O estatístico vem se firmando junto à sociedade na coordenação, orientação, consultoria e execução de trabalhos em Pesquisa de Mercado, Pesquisa de Opinião, Controle da Qualidade, Informática, Demografia e Saúde, Pesquisa Operacional, Recursos Humanos e outras áreas.

A formação básica do ESTATÍSTICO é adquirida por meio de um curso superior de Ciências Estatísticas, de quatro anos, ministrado nos grande centros brasileiros. Por ser uma profissão que exige formação sólida em matemática e teoria das probabilidades, e altamente especializada, são poucas as universidades existentes no Brasil que ofertam o curso de estatística.

A Profissão de Estatístico foi estabelecida pela Lei nº 4739 de 15 de julho de 1965. O Decreto nº 62497 de 1º de abril de 1968 aprovou o regulamento da Profissão de Estatístico no Brasil.

A Designação profissional de Estatístico é privativa:

  • dos possuidores de diploma de curso superior em Estatística no país e no exterior;
  • dos que, comprovadamente na data de promulgação da Lei nº 4739, ocupavam ou estavam exercendo o cargo de Estatístico em entidades públicas ou privadas, ou fossem professores de estatística.

De acordo com o artigo 6º da Lei 4739, “o exercício da profissão de estatístico” compreende:

  1. planejar e dirigir a execução de pesquisas ou levantamentos estatísticos;
  2. planejar e dirigir os trabalhos de controle estatístico de produção e de qualidade;
  3. efetuar pesquisas e análises estatísticas;
  4. elaborar padronizações estatísticas;
  5. efetuar perícias em matéria de estatística e assinar os laudos respectivos;
  6. emitir pareceres no campo da Estatística;
  7. o assessoramento e a direção de órgãos e seções de Estatística;
  8. a escrituração dos livros de registro ou controle estatístico criados em lei. A fiscalização do exercício da profissão é realizada pelo Conselho Federal de Estatística (CONFE) e Conselhos Regionais (CONRE). No Distrito Federal, essa fiscalização é exercida pelo Conselho Regional de Estatística 1ª região (CONRE1).

Para exercer a profissão de estatístico, é necessário obter o registro profissional junto ao CONRE de sua região.